--
Agende uma consulta +55 51 99547 5151 +1 323 865 3700
Siga nossas redes
+55 51 99 5475151
+1 323 865 3700
12 de novembro de 2020
Câncer de próstata: sinais de alerta e tratamento por cirurgia robótica
Escrito por André Berger em
Câncer de próstata: sinais de alerta e tratamento por cirurgia robótica.

Câncer de próstata: sinais de alerta e tratamento por cirurgia robótica.

Prostatectomia Radical Robótica tem recuperação mais rápida e maior chance de preservação das ereções e continência urinária após a retirada do câncer de próstata

O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, atrás somente do câncer de pele não-melanoma. Em 2020, 65.840 novos casos foram identificados no Brasil, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA). 

Por isso, nunca é demais relembrar a importância, especialmente para o homens acima de 50 anos, dos principais exames periódicos para avaliação da próstata: o toque retal e o exame de sangue para dosar o antígeno específico da próstata (PSA). 

Sinais de alerta do câncer de próstata

A maioria dos cânceres de próstata precoces não apresentam sintomas. Porém, é importante estar atento aos sinais de alerta, que podem indicar alterações benignas ou malignas na próstata. Entre eles, estão: alterações no fluxo urinário (diminuição e início tardio do jato, bem como a micção excessiva à noite) e ocorrência de dor ao urinar ou ao ejacular. Dor lombar também pode ser um sintoma associado. Em casos mais avançados ao câncer de próstata, é possível o aparecimento de sangue na urina, dor abdominal, anemia, perda de peso involuntária e fadiga.  

Uma vez que determinamos o estágio e a gravidade do câncer de próstata, deve haver uma discussão detalhada com o paciente para escolher o tratamento mais indicado, que pode incluir radioterapia e cirurgia, além de tratamento focal e vigilância ativa em casos selecionados.

Tratamento cirúrgico para o câncer de próstata 

A cirurgia para retirada da próstata, chamada de Prostatectomia Radical, é uma das alternativas de tratamento para o câncer de próstata. O procedimento envolve a remoção da próstata, das vesículas seminais e, em alguns casos, dos gânglios linfáticos que drenam a próstata. 

Cada vez mais, no Brasil, essa cirurgia tem sido feita com o auxílio da tecnologia robótica. Os resultados oncológicos (retirada do tumor) e funcionais (preservação da potência sexual e da continência urinária) que eu e minha equipe obtivemos estão entre os melhores do mundo. Em pacientes com doença localizada ao órgão, a retirada completa do câncer é de cerca de 90%. Ou seja, somada à experiência dos profissionais e à constante atualização na área, a tecnologia é uma importante aliada na recuperação e qualidade de vida dos pacientes.

Quando executada por uma equipe experiente, a cirurgia assistida por robô tende a ser mais precisa do que a convencional, porque o cirurgião tem acesso a imagens em alta definição e em três dimensões. Os instrumentos são pequenos e com grau de flexibilidade superior ao punho humano, o que permite realizarmos movimentos delicados em áreas de difícil acesso. 

Recuperação da Prostatectomia Radical Robótica

Após a cirurgia robótica para retirada da próstata, o paciente geralmente tem dor moderada. No pós-operatório da Prostatectomia Radical Robótica, a maioria dos meus pacientes apresenta condições de alta no dia seguinte ao procedimento.

Geralmente são feitos cinco cortes, em torno de meio centímetro cada um. Com isso, o paciente tem menos sangramento e menos necessidade de transfusão sanguínea. Por ser um procedimento menos invasivo do que a cirurgia tradicional, o retorno do paciente às atividades laborais e físicas costuma ser mais rápido em relação à cirurgia aberta.  

O principal objetivo da Prostatectomia Radical Robótica é o controle do câncer. Entretanto, quando pensamos no tratamento do câncer de próstata por meio da cirurgia, é necessário alcançar um equilíbrio entre o controle do tumor e a manutenção de funções importantes para o homem. Nesse sentido, a cirurgia robótica tem apresentado resultados promissores. Nas 24 horas após a retirada da sonda, 75% dos pacientes operados pela minha equipe retomam o controle urinário e 94% deles voltam a ter continência em três meses. A taxa de recuperação das ereções neste período chega a 82%.

A abordagem da cirurgia robótica também pode ser realizada em cenários tecnicamente desafiadores, como nos casos dos pacientes que recebem indicação de cirurgia após o tratamento com radioterapia. Nesses casos, a Prostatectomia Robótica de Resgate pode ser uma alternativa. Até um terço dos pacientes que são submetidos à radioterapia para tratamento primário do câncer de próstata podem ter uma recorrência da doença. 

Recorrência do câncer de próstata 

Dados históricos e atuais mostram que a retirada da próstata é o tratamento oncológico mais eficaz para o tratamento do câncer recorrente. Tradicionalmente, a retirada da próstata após falha de radioterapia é feita por cirurgia aberta. Contudo, essa cirurgia é um procedimento ainda mais delicado pela gravidade da doença e pelos acentuados riscos de lesão a órgãos próximos. 

Na cirurgia assistida por robô, é possível diminuir o risco de lesão do reto e de estenose de uretra, aumentando a chance de preservação das funções normais do corpo e garantindo melhor qualidade de vida para os homens em em tratamento para o câncer de próstata. Felizmente, a abordagem da robótica tem se mostrado uma opção viável e segura.  

Quer saber mais sobre o tema? Aqui no site, estão disponíveis mais informações sobre o assunto nos destaques sobre Uro-oncologia e Cirurgia Robótica. No YouTube, você também pode conferir uma série especial de vídeos que gravei sobre Procedimentos Robóticos em Uro-oncologia: